E o site está no ar!

Finalmente consegui colocar o site no ar! Ele ainda está em construção, mas já dá para navegar normalmente e ler alguns posts. O conteúdo do blog que migrou para o site já foi deletado, e é provável que até o fim deste mês já tenha terminado este processo. O site está mais limpo e acessível que o blog, muito mais fácil de navegar. Não consegui colocá-lo antes no ar por pura falta de tempo, tanto no meu caso como de minha amiga Ariane, que ficou responsável pelo design. Então, eis o link:

http://www.polnotch.com/

Como prometido, o post inaugural do site foi a biografia do Kino, a grande campeã de nossa enquete no Facebook.

Gostaria de saber a opinião de vocês quanto ao site, se for possível. É só deixar suas impressões nos comentários deste post.

Inté!

Deixe um comentário

Arquivado em Miscelânea

Enquanto o site não sai…

Muitas coisas (boas e ruins) aconteceram desde o último post, em março. Uma delas é que, infelizmente, o site não será inaugurado no fim de junho, mas sim em julho, se nada mais de extraordinário acontecer no meio do caminho. Comecei a preparar os textos para a estréia do site apenas há duas semanas, e o processo ainda está a passos de tartaruga (crise criativa?). Outra notícia, só que boa, é que consegui passar no processo seletivo do mestrado e, desta forma, agora poderei me dedicar 100% à música russa.

Como prometido, voltei hoje a publicar no site da Gazeta Russa. O novo post traz uma relação dos principais festivais de rock/pop que fazem a alegria dos russos no verão (agora lá na Rússia é verão). É uma boa pedida para que estiver viajando pela Rússia neste momento dar uma passadinha em algum deles, deve valer muito a pena! Para ler o post, é só clicar aqui.

Apesar de tímidas, as páginas do Facebook e Twitter ainda continuam em atividade. Como a idéia do site é que ele seja mais interativo do que o blog, fiz uma enquete no Facebook perguntando qual banda os leitores gostariam que fosse o biografado do mês de julho, na estréia do site. Dê a sua opinião! A enquete será encerrada no dia 05 de julho.

Por enquanto é isso. Agradeço ao apoio e a paciência de todos!

До свидания!

Deixe um comentário

Arquivado em Miscelânea

Uma pausa para o chá

samovar

Há mais de 4 meses o blog não era atualizado. Não, eu não desisti dele! Apenas aconteceram algumas coisas durante esses meses que me forçaram a dar um tempo. Estou no meio de um processo seletivo para ingressar no mestrado, no segundo semestre deste ano. Como trabalho em comércio de shopping (ou seja, trabalho até aos sábados, domingos e feriados!), não tenho muito tempo para estudar. E as noites que passava pesquisando e escrevendo para o blog e a Gazeta Russa foram ocupadas pela redação do projeto de mestrado e os estudos de Língua Russa.

Durante essa pausa forçada tive algumas idéias para o blog. A primeira delas foi transformá-lo em um site. Mas como sou um zero à esquerda no que se refere aos códigos HTML, CSS e afins, tive que recorrer aos universitários, neste caso uma grande amiga de infância que é craque nesses assuntos, e verificar a disponibilidade dela para criar comigo um site que mantivesse o espírito do blog: visual leve e prático e um conteúdo de qualidade. Depois de muito discutirmos e pensarmos, chegamos num acordo.

Sim, o Polnotch se transformará num site, previsto para estreiar na segunda quinzena de Junho, no máximo. Até lá, não haverá mais conteúdo novo por aqui. Todo o conteúdo do blog, revisado e ampliado, irá migrar para o site. Assim que todos os posts estiverem lá, o blog será deletado. Retomarei as postagens na Gazeta Russa a partir da primeira semana de Abril, voltando a escrever duas vezes por mês. Isso é o máximo que conseguirei fazer até resolver essa loucura do mestrado!

Agradeço a atenção de todos que acompanham o blog, e peço desculpas por não ter avisado antes. Minha cabeça anda tão cheia que ando me esquecendo de coisas triviais, como pagar a conta de luz… A página do Facebook continuará sendo atualizada, assim como o Twitter, mas não com a mesma frequência de antes.

До свидания!

Deixe um comentário

Arquivado em Miscelânea

Рок и фортуна (Rok i fortuna) – uma narrativa musical sobre o Mashina Vremeni (1989)

Ando um pouco cinéfila nessas últimas semanas. Aproveitando esse clima, compartilho com vocês um documentário muito legal sobre uma de minhas bandas favoritas, o Машина времени (Mashina Vremeni), que já foi devidamente resenhada aqui no blog no ano passado (para ler o post, clique aqui). O filme Рок и фортуна (Rok i fortuna) foi produzido em 1989, pela Mosfilm (o mesmo estúdio de “O Encouraçado Potemkin”, “Cidade Zero”, “A Infância de Ivan”, “Moscou não Acredita em Lágrimas” e outros clássicos do cinema soviético), e conta a história de uma das mais antigas e importantes bandas de rock’n’roll da Rússia – a primeira a cantar rock em russo – mesclando entrevistas,  shows e bastidores de estúdios e apresentações. Mesmo que você não entenda um palavra em russo, esse é um daqueles filmes indispensáveis para se entender o que era ser uma banda de rock na União Soviética – as imagens e a música acabam falando por si só.

FICHA TÉCNICA

  • Diretor: Nikita Orlov
  • Roteiro: Nikita Orlov
  • Direção de Fotografia: Boris Kotcherov, Viktor Pishchal’nikov
  • Produção: ТППКА/Мосфильм (TPPKA/Mosfilm)
  • Ano: 1989
  • Idioma: Russo, sem legendas
  • Duração: aprox. 1 hora e 39 minutos

Deixe um comentário

Arquivado em Filmes e documentários

Panorama da cena gótica russa, 1990-2000 (parte final)

Nossa viagem pela cena gótica russa da década de 1990 está chegando ao fim. É claro que as bandas que passaram por aqui não são as únicas do gênero que surgiram naquela época na Rússia, mas acredito que essas são as mais importantes e essenciais para se entender o que virá pela frente: em algumas semanas, teremos o panorama dos grupos que surgiram entre 2001 e 2011.

Cyclotimia

Os músicos MK (Max Khachmanukyan, tecladista e compositor) e LM (Leonid Makarov, baterista e engenheiro de som) já participavam, desde 1997, de diversos projetos de música eletrônica em Moscou, mas foi apenas no seguinte que se conheceram. A afinidade musical entre os dois foi imensa e logo decidiram montar uma banda juntos, onde pudessem fazer música eletrônica experimental. A dupla costuma utilizar, em suas composições, sintetizadores de última geração e antigos instrumentos eletrônicos soviéticos. Com uma proposta que pretende, através da música instrumental, criticar a atual sociedade de consumo e a globalização, podemos perceber a influência de Jean Michel Jarre, Vangelis, Tangerine Dream, Klaus Schulze, Skinny Puppy e Front Line Assembly na sonoridade do grupo. Uma curiosidade sobre a banda: em 2007, o Cyclotimia gravou um álbum, Celestis, inspirado nas atividades da Space Services Inc., mais precisamente de sua divisão Celestis, que realiza funerais espaciais (isso mesmo – você pode cremar seu parente e eles enviam um foguete com as cinzas para o espaço!). A Space Services Inc. gostou tanto da idéia que acabou enviando uma cópia do CD para o espaço, a bordo da nave Legacy Flight, no dia 28 de abril do mesmo ano.

Site oficial: http://cyclotimia.com/

MySpace: http://www.myspace.com/cyclotimia

Necro Stellar

Um dos pioneiros do rock industrial na Rússia, o grupo Necro Stellar foi concebido em 1988, na cidade de Moscou, pelo vocalista, multi instrumentista, compositor e único membro permanente Iuri Zviozdnyi. Na verdade, naquela época o Necro Stellar era apenas um projeto de Zviozdnyi, que escrevia poemas (bastante influenciados pelo dadaísmo e pelo existencialismo), musicava alguns (dark electro, darkwave e rock psicodélico eram suas principais referências) e idealizava as apresentações de uma potencial banda. Foi apenas no início da década de 1990 que o grupo saiu da virtualidade, começou a fazer um relativo sucesso na cena alternativa de Moscou e passou a se apresentar ao vivo. Desde aquela época, Zviozdnyi compõe sozinho todas as músicas e toca todos os instrumentos nas gravações dos discos, contando com alguns colaboradores apenas nas apresentações ao vivo – a única exceção é a vocalista Anastassia Podnebesnaia, que participa tanto dos álbuns quanto dos shows. Após lançar alguns álbuns independentes, o grupo conseguiu, em 2005, um contrato com a gravadora russa Shadowplay Records, especializada em bandas da cena gótica local e mundial, e lançou o disco Saturating Cemetery, que foi muito elogiado pelo jornalista e crítico musical britânico Mick Mercer. E foi o aval de Mercer que tornou a banda famosa na cena alternativa de outros países da Europa, como Inglaterra, Alemanha, Bélgica e Itália. Além do seu trabalho no Necro Stellar, Iuri Zviozdnyi também é supervisor educacional da Escola Transcendental de Magia SPIRALNIX, um centro de treinamento dedicado ao estudo da psicologia transcendental e do ocultismo.

Site oficial: http://www.necrostellar.com/

PARA BELLVM

A banda PARA BELLVM foi formada em 1992, na cidade de São Petersburgo, pelo vocalista e estudante de jornalismo Leonid Novikov (que naquela época havia acabado de conseguir um emprego no Rock Fuzz, um famoso jornal especializado em música), o guitarrista Aleksei Pisarev e o baterista Aleksandr “Beast” Iakimov. Novikov gostava de escrever poemas e pensava em musicá-los, mas a banda levou um certo tempo até decidir que estilo musical tocaria – as preferências musicais dos integrantes eram diversas, indo do grunge ao hard rock, passando pelo hardcore. Três anos depois, o Rock Fuzz se tornou uma revista, Novikov passou a ser um dos editores da publicação, e o PARA BELLVM finalmente decidiu o que iria fazer: algo entre o pós-punk e o rock gótico. A banda começou a se apresentar em casa noturnas de São Petersburgo e, em 1999, passou a contar com um experiente integrante, o ex-tecladista da banda VIDNA NEBO, Stepan Slavin. Com a popularidade sempre aumentando, no ano seguinte a banda dividiu o palco com os grupos Н.А.И.В. (N.A.I.V.) e Marky Ramone & The Intruders. Quando tudo parecia estar dando certo, o grupo entrou em crise: todos os integrantes, exceto Novikov, resolveram sair do PARA BELLVM, para formarem suas próprias bandas. Desta forma, Novikov teve que procurar novos músicos para continuar com o grupo. Neste mesmo ano, e com uma nova formação, a banda lançou seu primeiro disco, PARA BELLVM, que foi distribuído aos assinantes da Fuzz (novo nome da revista Rock Fuzz) junto com a edição do mês da revista – grande parte dos leitores elogiaram bastante o álbum. Em 2001, em consequência de uma crise de egos, a banda se desfez novamente. Novikov reestruturou o grupo, incluindo sua esposa Elena Novikova (baixista e ex-integrante do Ива Нова, Iva Nova) nesta nova formação. A partir de então, a banda se estabilizou e conseguiu alcançar um relativo sucesso fora da Rússia, participando de alguns festivais na Alemanha.

Site oficial: http://parabellvm.ru/blog/

Stillife

O grupo Stillife foi formado em 1998, na cidade de Rostov do Don, por Stanislav Ivanov (Stan_I) e Mikhail Sokolov (M.S.). Transitando entre o electro gothic e a darkwave, e tratando de temas como a solidão, o amor e as tragédias humanas, a dupla lançou, três anos depois, um álbum independente, Raining December (2001), e no ano seguinte, um EP também independente, Only Silence (2002). Foi durante o processo de gravação desses discos que a banda começou a se apresentar ao vivo, tocando em festivais góticos e de música eletrônica nas cidades de Moscou e São Petersburgo. A gravadora Irond se interessou pelo trabalho do Stillife e relançou o álbum Raining December, incluindo diversas faixas bonus. Algumas revistas teceram ótimos comentários a respeito da banda, que rapidamente se tornou conhecida pelo público alemão. O EP Only Silence acabou entrando no hit parade da rádio Эхо Москвы (Ekho Moskvy). Em 2003, a banda fez uma parceria com o grupo Endraum, remixando algumas músicas da dupla alemã. Após lançaram alguns álbuns e participarem de inúmeros festivais pela Rússia, o Stillife encerrou as atividades em 2008, em decorrência de uma briga entre os integrantes. Stan_I decidiu ressuscitar o grupo em 2010, convidando novos músicos para integrarem a banda. Para promover o retorno do Stillife, ele aproveitou a passagem da banda alemã Lacrimosa pela Rússia e deu de presente algumas cópias do álbum Destiny ao líder do grupo, Tilo Wolff. O álbum foi muito elogiado por Wolff, e foi desta forma que se deu início a parceria entre as bandas, que dura até hoje: o Stillife remixou com exclusividade uma música do Lacrimosa, A.u.S., além de abrirem os shows da banda alemã nas turnês pela Rússia. No momento, o grupo está gravando um novo álbum, previsto para ser lançado no segundo semestre de 2012.

Site oficial: http://stillife.ru/

MySpace: http://www.myspace.com/stillifeofficial

Deixe um comentário

Arquivado em Biografia de Bandas

Воплi Вiдоплясова (Vopli Vidopliassova)

Em 1984, na cidade de Kiev (Ucrânia), o guitarrista Iuriy Zdorenko e o baixista Oleksandr Pipa iniciaram suas respectivas carreiras musicais tocando juntos na banda de heavy metal SOS. Dois anos depois, em 1986, os dois amigos conheceram o versátil músico Oleh Skrypka, que além de ótimo cantor também tocava acordeão, guitarra e trompete. A afinidade musical do trio foi tão grande que Zdorenko e Pipa decidiram sair do SOS e acabaram formando uma nova banda com Skrypka. Convidaram Serhiy Sakhno para assumir as baquetas, e escolheram Воплi Вiдоплясова (Vopli Vidopliassova) como o nome da banda, que é uma referência ao personagem Grigori Vidopliassov do romance Село Степанчиково и его обитатели (Aldeia de Stiepantchikov e seus habitantes), de Fiódor Dostoiévski. A banda procurou mesclar o rock’n’roll com outros estilos musicais, como o folk e o punk – os dias de heavy metal haviam ficado para trás – e decidiu que as músicas seriam compostas em ucraniano.

Em 1987, o grupo fez sua primeira apresentação em um festival, organizado pelo rock club de Kiev, e foi escolhida como a “banda do ano”. A música “Танці” (Tantsi) se tornou um hit dentro da Ucrânia e, em pouco tempo, acabou se tornando muito conhecida nos demais países da União Soviética, como a Lituânia e a Rússia. Em 1988, o grupo organizou uma turnê com as bandas ucranianas Коллежского асессора (Kollejskogo asessora) e Рабботой Хо (Rabbotoi Kho) e fez uma exaustiva turnê pela Ucrânia. Os shows foram muito bem-sucedidos, e não demorou muito para que o Vopli Vidopliassova fosse convidado a tocar fora do país: primeiro se apresentaram em Vilnius, no festival Рок-форуме-88 (Rok-forume-88), depois em Moscou, Palácio da Cultura Gorbunov. No ano seguinte, foi a vez de Leningrado (atual São Petersburgo), onde a banda dividiu o palco com a lendária banda АукцЫон (Auktyon).

Em 1990, o Vopli Vidopliassova saiu em turnê pela Europa – os shows que a banda realizou na França foram tão bem-sucedidos que a banda acabou conseguindo apoio e recursos técnicos para gravar um deles, que acabou se tornando o primeiro álbum do grupo, Або або (Abo abo), lançado em 1991. Ainda em 1991, Skrypka e Pipa se mudaram para Paris, o baterista Serhiy Sakhno permaneceu em Kiev e Zdorenko decidiu sair da banda. Mesmo com a distância, a banda gravou alguns álbuns e fez alguns shows em Paris e na URSS. O “Período Francês” do Vopli Vidopliassova terminou em 1996, quando a Skrypka e Pipa retornaram para Kiev. Eugene Rohachevsky foi convidado para assumir as guitarras e, no ano seguinte, o grupo conseguiu um contrato com a S.B.A./GALA Records. Em 1998, a banda lançou o álbum Країна мрій (Krayina mrij), que consistia basicamente de canções gravadas no início dos anos 1990. O álbum Хвилi Амура (Khvyli Amura), de 2000, também seguiu esse mesmo espírito, mesclando canções antigas que ainda não haviam sido lançadas com novas músicas.

O ano de 2000 foi especial para banda, pois pela primeira vez conseguiu fazer uma turnê fora da Europa, tocando em Israel e nos Estados Unidos. Além disso, o grupo também recepcionou o então presidente norte-americano Bill Clinton, quando este visitou a Ucrânia naquele ano. Em 2006, foi lançado o álbum Були Деньки, que comemorava o vigésimo aniversário do grupo. No ano seguinte, Pipa deixou o grupo, sendo substituído por  Oleksij Mel’chenko. Já em 2008, a banda gravou uma versão rock’n’roll para o Hino Nacional Ucraniano. O último álbum de estúdio do Vopli Vidopliassova, Самата Воплi Вiдоплясова (Samata Vopli Vidopliassova), foi lançado em 2011, e trata-se de uma releitura de grandes sucessos da banda feita em parceria com o grupo de ethno jazz ucraniano Самата (Samata). É claro, as versões são para lá de inusitadas, com diversos elementos do acid jazz e da world music. Além disso, a banda segue em turnê pela Ucrânia, mantendo a marca de 200 shows por ano, em média.

INTEGRANTES ATUAIS

  • Oleh Skrypka – voz, acordeon, saxofone, letras e música
  • Oleksij Mel’chenko – baixo
  • Serhiy Sakhno – bateria, percussão, backing vocal
  • Eugene Rohachevsky – guitarra, voz

DISCOGRAFIA

  • Або або (1991)
  • Закустика (MC, 1993)
  • Країна мрій (1994)
  • Музіка (сингл, 1996)
  • Музіка (1997)
  • Любов (сингл, 1998)
  • Хвилi Амура (2000)
  • День нароDJення (2001)
  • Мамай (сингл, 2001)
  • Файно (2002)
  • Були деньки (2006)
  • Видеоколлекция (DVD, 2007)
  • ВВ на сцене фестиваля Рок Сич (2008)
  • Гимн-Славень Украины (2008)
  • Видеоколлекция (коллекционное издание 2 DVD, 2008)
  • Ладо (виртуальный сингл, 2008)
  • Були деньки (vinyl LP, 2008)
  • Ладо (сингл, 2009)
  • Чiо Чiо Сан (сингл, 2009)
  • Відпустка (сингл, 2010)
  • Самата Воплi Вiдоплясова (2011)

Site oficial em ucraniano: http://vopli.com.ua/

Site oficial em russo: http://ru.vopli.com.ua/

Canal no YouTube: http://www.youtube.com/user/VopliVidopliassova

Deixe um comentário

Arquivado em Biografia de Bandas

Ария (Aria)

Na primavera de 1985, na cidade de Moscou, dois jovens músicos apaixonados por Judas Priest e Iron Maiden, o guitarrista e compositor Vladimir Kholstinin e o baixista Alik Granovskii, resolveram montar uma banda, nomeando-a ARIA. Kholstinin já havia tocado antes em dois grupos de rock da cidade, Волшебные сумерки (Volshebnye sumerki) e Альфа (Al’fa, onde conheceu Granovskii), e estava bem familiarizado com a cena underground moscovita. Entre um show e outro, acabou fazendo amizade com outros músicos, convidando alguns deles para integrarem sua nova banda: o vocalista Valerii Kipelov, do grupo Лейся, песня (Leisia, pesnia), o tecladista Kirill Pokrovskii e o baterista Aleksandr L’vov, ambos integrantes do Поющие сердца (Poiushchie serdtsa).

No dia 31 de outubro de 1985, o Aria lançou seu primeiro álbum, Мания Величия (Maniia Velitchiia). Todos os integrantes participaram do processo de elaboração das letras e músicas do álbum. Além disso, também contaram com a colaboração da poetisa, jornalista e tradutora Margarita Pushkina, que escreveu algumas letras – até hoje ela colabora com a banda. O disco obteve uma ótima repercussão entre o público de heavy metal de Moscou e arredores, o que acabou proporcionando ao grupo, já no ano seguinte, uma turnê por várias cidades russas.

Em novembro de 1986, a banda lançou o segundo álbum, С кем ты? (S kem ty?), que fez ainda mais sucesso do que  disco anterior. Durante as gravações deste álbum, a formação do Aria sofreu algumas alterações: agora o grupo contava com um segundo guitarrista, Andrei Bol’shakov, o baterista Igor Moltchanov entrou no lugar de L’vov e o tecladista Kirill Pokrovskii abandonou o barco. Diversas músicas de S kem ty? passaram a ser executadas nas rádios, e o nome da banda era sempre citado nos rankings de músicas mais pedidas pelos ouvintes.

 O ano de 1987 foi marcado por mais um entra e sai de integrantes: da formação original, ficaram apenas Kholstinin e Kipelov. Os novos integrantes eram o guitarrista Sergei Mavrin, o baixista Vitalii Dubinin e o baterista Maksim Udalov. Neste mesmo ano, a banda gravou seu terceiro álbum, Герой асфальта (Geroi asfal’ta), lançado pela gravadora oficial da URSS, a Melodiia. Em 1988, o Aria gravou seu primeiro videoclip (da música Улица Роз, Ulitsa Roz) e fez sua primeira turnê fora da Rússia, tocando na Alemanha e na Bulgária. No ano seguinte, Udalov deixou a banda, sendo substituido por Aleksandr Maniakin. Já o ano de 1991 será marcado pelo lançamento do disco mais conceitual da banda, Кровь за кровь (Krov’ za krov’), que versava sobre a relação entre o homem e as forças sobrenaturais do universo.

Em 1994, a banda conseguiu um contrato com a gravadora MOROZ Records, que relançou todos os álbuns gravados pelo Aria até aquele momento. Durante as gravações do álbum Ночь Короче Дня (Notch’ Korotche Dnia), de 1995, o guitarrista Sergei Terent’ev entrou no lugar de Mavrin. Em 1999, a banda fez uma parceria com a Harley-Davidson, lançando um mini CD com quatro músicas, Tribute to Harley-Davidson, e, no ano seguinte, compôs a trilha sonora do jogo de computador “Hard Truck 2: King of the Road”. Em 2002, o grupo idealizou uma turnê em que seria acompanhada por uma orquestra: o projeto, nomeado “Классическая Ария” (Klassitcheskaia Aria), rodou por diversas cidades da Rússia durante dois meses e foi a última turnê da banda com o vocalista Valerii Kipelov, que deixou  Aria para formar o grupo Кипелов (Kipelov).

 O álbum Крещение Огнём (Kreshchenie Ogniom), lançado em 2003, contava com uma nova formação: além de Kholstinin e Dubinin, integravam a banda o vocalista Artur Berkut, o guitarrista Sergei Popov e o retorno do baterista Maksim Udalov. Em 2005, para comemorar os 20 anos de estrada, o Aria fez uma grandiosa turnê de comemoração, que contou com a participação especial de Iuri Shevtchuk (DDT), Viatcheslav Butusov (Nautilus Pompilius) e Konstantin Kintchev (Alisa) . Já em 2008, a banda fez outra mega turnê para comemorar os 20 anos do álbum  Geroi asfal’ta, com a participação de Valerii Kipelov e Sergei Mavrin. Em agosto de 2011, Artur Berkut deixou o Aria, sendo substituído por Mikhail Jitniakov. Nessa época, surgiram alguns rumores de que Kipelov voltaria para a banda, mas foram apenas boatos, já que sua carreira solo ia muito bem. No momento, o Aria está em turnê divulgando o álbum Live in Studio, lançado em 2012.

INTEGRANTES ATUAIS

  • Mikhail Jitniakov — voz
  • Vladimir Kholstinin — guitarra
  • Sergei Popov — guitarra
  • Vitali Dubinin — baixo, backing vocal
  • Maksim Udalov — bateria

DISCOGRAFIA

  • Мания величия (1985)
  • С кем ты? (1986)
  • Герой асфальта (1987)
  • Игра с огнём (1989)
  • Кровь за кровь (1991)
  • Ночь короче дня (1995)
  • Сделано в России (концертный альбом – 1996)
  • Генератор зла (1998)
  • Химера (2001)
  • Крещение огнём (2003)
  • В поисках новой жертвы (концертный альбом – 2003)
  • Живой огонь (концертный альбом – 2004)
  • Армагеддон (2006)
  • Пляска ада (концертный альбом – 2007)
  • Герой асфальта XX лет (концертный альбом – 2008)
  • Феникс (2011)
  • Live in Studio (Сборник – 2012)

Site oficial: http://www.aria.ru/

YouTube: http://www.youtube.com/user/AriaRussia

1 Comentário

Arquivado em Biografia de Bandas